sábado, 8 de agosto de 2015

Antioxidantes: uma moda que vale a pena

Olá olá :)

É Verão, está calor, é tempo de aproveitar! Mas mesmo assim, sempre saudáveis ;)
Vejam o que a nossa nutricionista tem a dizer sobre a moda dos Antioxidantes! 


As dietas antioxidantes para perder peso, os antioxidantes para promover a beleza, os alimentos antioxidantes que retardam o envelhecimento… Os antioxidantes estão, definitivamente, na moda! E como tal, são o tema do tópico de hoje. Ainda assim, convém perceber como atuam e porque são tão benéficos. Pela palavra, “anti ”+“oxidante”, sugere algo que neutraliza substâncias oxidantes, neste caso os radicais livres.

Os radicais livres são moléculas instáveis presentes no nosso organismo que procuram eletrões que possam capturar de forma a se neutralizarem, ou seja, adquirir estabilidade. No entanto, este “roubo” de eletrões, apesar de neutralizar os radicais livres, faz com que ocorra a formação de novos radicais livres (aqueles que foram atacados e perderam eletrões). É neste processo que são tão importantes os antioxidantes, visto que estes têm a capacidade de estabilizar ou desativar os radicais livres antes que estes ataquem as células do nosso organismo.

Vários estudos apontam uma relação benéfica entre a ingestão de alimentos ricos em antioxidantes e a prevenção de algumas doenças como as doenças cardiovasculares, as doenças neurodegenerativas e o cancro.

Existem vários antioxidantes na nossa alimentação, mas apenas iremos considerar os principais. 

A Vitamina E pode ser encontrada em óleos vegetais, algumas sementes e frutos gordos. Segundo as recomendações, um adulto deve ingerir 15mg de Vitamina E por dia, quantidade alcançada com, por exemplo, uma chávena de café de avelãs ou amêndoas. 

A Vitamina C pode ser encontrada em frutas, especialmente as frutas cítricas e nos hortícolas. As recomendações variam entre 75mg/dia para mulheres adultas e 90mg/dia para homens adultos, facilmente conseguido através de uma laranja e de uma porção de legumes como a couve-bruxelas, a couve-flor e os brócolos. 

Os Flavonoides estão associados ao café, ao chá verde e preto e ao vinho tinto. Quem nunca ouviu falar nos benefícios do vinho tinto para o coração? (este será um tópico para um futuro post). 

O licopeno é também um antioxidante associado aos alimentos vermelhos como o tomate, os frutos vermelhos e a melancia. 
O betacaroteno, por outro lado, associa-se aos alimentos cor-de-laranja como a cenoura, a abóbora, a papaia, o pêssego, manga e mamão. 

Por fim, a coenzima Q10, tão falada no setor da estética, está presente na carne e no peixe. Apesar de não existirem recomendações específicas para estes 4 últimos antioxidantes, não existem evidências de que o consumo de alimentos ricos em antioxidantes ao longo da vida acarrete efeitos prejudiciais. Pelo contrário, há fortes evidências epidemiológicas de que estejam associados a um envelhecimento saudável e à longevidade funcional. E como grande parte destes antioxidantes estão presentes nas frutas e nos hortícolas, já sabe, o mínimo são 5 porções por dia! 

Continuem saudáveis ;) 

Beijinhos nutridos,

Angélica*