sexta-feira, 13 de junho de 2014

Espiritualidades

Olá gente,

Antes de mais queria-me desculpar pela ausência. Mas andamos cheias de trabalho graças à faculdade e também estamos a preparar umas coisinhas especiais para vocês =).

Hoje o tema é um pouco diferente do habitual! E espero mesmo não ofender ninguém nem ferir susceptibilidades. Acredita quem quem quer, e quem não acredita pode sempre, com toda a legitimidade, julgar-me tonta.

Então o tema é este: Espiritualidades



Eu queria falar em especial da a Hamsá, também conhecida por mão de Deus ou mão de Fátima, e o olho grego. Antes de mais, acho que ambas as peças são lindíssimas. São presenças assíduas nos meus acessórios!

E depois há a parte espiritual da coisa. Eu sou completamente católica mas no entanto gosto bastantes do valor simbólico do olho grego e da Hamsá. Um pouco de história...

O olho grego (ou turco) é um tãlisma contra a inveja e o mau olhado desempenhando ainda funções de protecção. Acredita-se que canalize as energias negativas. Tem uma forte componente estética, podendo ser encontrado em tatuagens e bijuterias. O olho turco tem origem Islãmica mas acabou por ser adoptado pela religião Católica sendo encontrado com frequência em países como a Arménia, Grécia, Turquia e Irão. Aqui em Portugal, é frequentemente visto em pulseiras que erradamente têm outras cores. O objectivo de ser azul, prende-se com a crença de que a "inveja" é de cor azul, e só pode ser repelida pela mesma cor. No entanto a moda pegou e o Nazur, surge em peças mais diferenciadas especialmente em romarias. Eu adoro, e recentemente trouxeram-me da Grécia uma pulseira e também um porta-chaves.

A Hamsá surge uma vez mais associada a religiões crentes nas energias negativas. No entanto, o seu significado varia de cultura para cultura. Para o Islão serve de pedra filosofal relembrando os 5 mandamento base desta mesma religião. Para o Budismo actua como um repelente para o medo. No Judaísmo é representa a protecção contra o mau-olhado. Curiosamente, existem indícios arqueológico que registam este simbolo no Egipto, antes mesmo do surgimento do Islamismo e do Islão. Eu resolvi fazer uma Hamsá na grade-costal. Foi do dia para a noite e não me arrependo. Adorei o resultado final e adoro mais ainda aquilo que representa.

Espero que tenham gostado e aguardem pelas novidades =). Aposto que vão adorar!

Beijinhos

C*