segunda-feira, 18 de maio de 2015

"O Segredo de Sophia"

Olá queridos :)

Hoje venho falar-vos, mais uma vez, de uma das minhas perdições - livroooos! ;) 
Lembram-se que vos falei que fui certa vez ao Continente e os livros estavam em promoção? Pois bem, já dei conta dele e agora venho contar-vos o que achei, ora vejam!




Carrie McClelland é uma escritora de sucesso a braços com o pior inimigo de qualquer artista: um bloqueio criativo. Em busca de inspiração, ela decide mudar de cenário e visitar a Escócia, onde se apaixona pelas belas paisagens e pelo Castelo de Slain, um lugar em ruínas que lhe transmite uma inexplicável sensação de pertença e bem-estar. Tudo parece atraí-la para aquele lugar, até mesmo o seu coração, que vacila sempre que encontra Graham Keith, um homem que acaba de conhecer mas lhe é, também, estranhamente familiar. Com o castelo como cenário e uma das suas antepassadas - Sophia - como heroína, Carrie começa o seu novo romance. E rapidamente dá por si a escrever com uma rapidez invulgar e com um imaginário tão intrigante que a leva a perguntar-se se estará a lidar apenas com a sua imaginação. Será a "sua" Sophia tão ficcional como ela pensa? À medida que a sua escrita ganha vida própria, as memórias de Sophia transportam Carrie para as intrigas do século XVIII e para uma incrível história de amor perdida no tempo. Depois de três séculos de esquecimento, o "segredo de Sophia" tem de ser revelado.

Dizem que o cartão de visita de um livro é a capa. Neste caso não posso discordar, adorei, cativou-me logo! Depois disso é o resumo do livro que nos deixa ficar a imaginar o conteúdo e, na maioria das vezes, que nos "obriga" a abrir os cordões à bolsa :p

É com os cenários de Cruden Bay, na Escócia, que Carrie luta contra um bloqueio na sua criatividade. Com a ajuda da sua grande amiga/agente Jane conhece o Castelo de Slains e instantaneamente há uma força imaginária que a liga àquele lugar. A sua escrita nunca antes foi tão acelerada e Carrie dá por si numa espécie de "sonambulismo" que a faz reviver as memórias da sua antepassada e heroína Sophia. Memória genética ou não, Carrie começa a fazer a ligação entre o que aconteceu à 300 anos com o que lhe acontece agora. As paisagens, as personagens, os mistérios... Sophia guarda consigo um segredo quase impossível de carregar e Carrie pergunta-se como irá terminar o seu livro sem que o final seja irremediavelmente triste.

É um romance histórico e nem toda a gente gosta deste tipo de leitura. Há muitos factos históricos sobre os acontecimentos no século XVIII. No entanto a escrita é muito boa, consegue cativar-nos no primeiro segundo e leva-nos até ao fim! É um amor que tudo supera, um amor inesperado e inesquecível. Isto sim é um amor eterno!

Há realmente um segredo que vai virar o rumo da história e que nos deixa de boca bem aberta no final!

Aconselho a lerem! É um romance a sério, para quem gosta assim de umas lamechices de vez em quando é óptimo ;)

Boas leituras!

Um beijinho,
Cat*